Bombeiros recebem treinamento para combater Aedes aegypti


Repórter: RAUSTMAN GONDIM Edição: SECOM-RR Foto: Diego Ferreira


Data de Postagem: 09/05/2017 9:02 am




A partir da próxima segunda-feira, 8, 34 militares do CBMRR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima) vão atuar no combate ao mosquito transmissor Aedes aegypti. Na manhã desta quinta-feira (4) os bombeiros participaram de um treinamento no auditório da Corporação, na Avenida Venezuela, para reforçar a cobertura das visitas domiciliares em Boa Vista.
 
A princípio, os militares vão atuar em quatro bairros da Capital: Asa Branca, Buritis, Cinturão Verde e Jardim Floresta. A preocupação dos órgãos de saúde é com o grave risco de um surto epidêmico de Chikungunya.
 
De acordo com a Sala Estadual de Coordenação e Controle para Enfrentamento ao Aedes aegypti da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), a população boa-vistense ainda apresenta grande vulnerabilidade ao vírus. Dos 52 bairros da Capital, 21 apresentam alto risco de transmissão de um dos vírus transmitidos pelo vetor.
 
Os bombeiros atuarão na eliminação de depósitos dos criadouros do mosquito, orientando a população sobre os cuidados necessários para evitar a proliferação durante o período chuvoso.
 
O comandante geral do CBMRR, coronel Doriedson Ribeiro, ressaltou a preocupação com os índices de infestação e manifestou o interesse da Corporação em colaborar no combate ao mosquito transmissor da dengue, zica e chikungunya.
“Atuar nesse trabalho de prevenção é de extrema importância para que possamos, em conjunto com os órgãos públicos de saúde do estado e do município, diminuir as consequências desses altos índices de infestação do mosquito. A situação é grave, exige atenção e o Corpo de Bombeiros estará envolvido diretamente na ação nos próximos dois meses”, declarou.  
 
O coordenador do Núcleo de Vetores de Boa Vista, Rogério Lima, responsável pelo treinamento dos militares, ressaltou a necessidade das parcerias para combater o mosquito.
 
“Há uma orientação da Sala Nacional para montarmos parcerias, visto que, a dengue, zika e chikungunya são um problema de todos nós e toda comunidade deve ser envolvida”, destacou.



Acessos : 144

Voltar