Governo de Roraima apresenta plano para minimizar os impactos do inverno

O inverno em Roraima começou 30 dias mais cedo e o volume das chuvas é maior do que a média para o período


18/05/2021 11:25   

Acessos : 425



Os impactos do período chuvoso em Roraima serão enfrentados pelo Governo do Estado, por meio do Plano de Contingência, de Proteção e de Defesa Civil, que foi apresentado nesta segunda-feira, 17, pelo CBMRR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima) e a CEPDC (Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil).

O plano já passou pela fase de prevenção, mitigação, preparação e está na fase de resposta, quando medidas emergenciais são tomadas para atender a população. O monitoramento é feito diariamente em todos os municípios de Roraima, prestando apoio sempre que é acionado pela prefeitura ou pelos moradores da localidade.

O inverno em Roraima começou 30 dias mais cedo e o volume das chuvas é maior do que a média para o período. O governador Antonio Denarium destacou que está preocupado com as fortes chuvas e com as alagações e a interrupção de algumas estradas.

“Em Roraima choveu muito em abril e até agora, no mês de maio, continua com muitas chuvas. Elaboramos esse plano junto com a Defesa Civil para fazer o atendimento para aquelas pessoas e aquelas comunidades que ficarem isoladas devido às fortes chuvas”, explicou.

O diretor-executivo da Defesa Civil em Roraima, cel. Cleudiomar Ferreira, explicou que Cantá, Bonfim e Rorainópolis estão em situação mais delicada nesse momento. As equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros estão auxiliando os moradores que já estão isolados. As ações são executadas em todo o Estado, principalmente no interior, e vão desde vistorias em locais onde ocorreram queda de pontes e o transbordamento de rios sobre trechos de vicinais, até o resgate de pessoas e animais ilhados.

“No PA Tatajuba, no Cantá, a gente verificou que tem em torno de 120 famílias totalmente isoladas. Na vicinal 21, também no município de Cantá, aproximadamente 50 famílias estão em situação de isolamento. No município de Bonfim, o rompimento da ponte sobre o rio Jataí deixou três comunidades indígenas isoladas. Estamos fazendo a travessia das pessoas com embarcações, levando comida e atendimentos médicos a quem precisa. O rio Jauaperi, em Rorainópolis, transbordou e a água já invadiu a BR-174, que liga Roraima ao Amazonas. A quantidade de água ainda não atrapalha o tráfego. A Defesa Civil monitora a situação em todo o Estado”, disse.

SÃO JOÃO DO BALIZA

Uma das ações do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil foi a retirada de três familiares que estavam isoladas na vicinal 28 do município de São João do Baliza. Nessa ação, foi necessário retirar as pessoas nadando devido à impossibilidade de utilização da embarcação.

CANTÁ

Outra ação de destaque ocorreu no município do Cantá, onde as equipes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil realizaram a vistoria e a retirada de pessoas no P.A Tatajuba. Além desta ação de resposta no Cantá, o CBMRR e a CEPDC realizaram vistorias em trechos da BR-432, mais precisamente na região do rio Cachorro, próximo à Vila Central, e em todo trecho da BR próximo ao rio Baraúna. Os dois rios vêm apresentando alagamento das regiões próximas devido às fortes chuvas.

A Defesa Civil foi acionada por moradores da vicinal 21 na semana passada. Eles estavam ilhados e necessitando de apoio para remoção. A equipe da CEPDC, com apoio das embarcações do CBMRR, acessou as áreas afetadas levando cestas básicas disponibilizadas pela Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social) e equipe médica do próprio município.

Na tarde de domingo, 16, foi realizada uma reunião entre o CBMRR, a Defesa Civil e a Prefeitura do Cantá para acertar novas formas de apoio ao município, que vem sofrendo bastante com as fortes chuvas. O prefeito André Castro solicitou apoio da Defesa Civil para decretação de situação de emergência.

As equipes das Defesas Civis Estadual e Municipal vão trabalhar em conjunto nos próximos dias para coletar informações sobre os danos causados pelas chuvas e pelas cheias dos rios para embasar a decretação de situação de emergência do Cantá junto a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

SÃO LUÍS

O CBMRR e a CEPDC também prestaram, nas últimas semanas, apoio aos moradores São Luís, ao sul do Estado, que ficaram ilhados pelas cheias do rio Cachorro, fazendo a retirada de algumas pessoas.

CAROEBE

No município de Caroebe, as equipes da Defesa Civil realizaram a remoção de famílias que também foram afetadas pelas cheias do rio Cachorro, na vicinal 04.

RORAINÓPOLIS

As equipes do CBMRR, através dos militares da 2ª CIA, e da Defesa Civil vêm realizando, desde o início do mês de abril, a retirada de famílias afetadas pelas cheias dos rios que cortam o município, principalmente o Branco e o Anauá. No dia 4 de maio, uma equipe da 2ª CIA do CBMRR realizou a remoção de 16 cavalos de uma área que ficou isolada dentro de uma propriedade rural.

Na manhã de domingo, 16, a Defesa Civil Estadual prestou apoio a um proprietário rural que teve sua propriedade isolada e alagada pelas cheias do rio Anauá. Além dos pertences pessoais do proprietário, as equipes realizaram a retirada de dois cachorros que haviam ficado isolados em um amontoado de barro durante toda a noite.

UIRAMUTÃ

Desde a semana passada, uma equipe da CEPDC está presente no município do Uiramutã para auxiliar a Prefeitura e a Defesa Civil Municipal nas ações de resposta às fortes chuvas. As equipes já realizaram diversas vistorias em áreas alagadas e removeram algumas famílias para a sede do município.